Morte de mulher após extração de dente na Bahia acende alerta; saiba quando há riscos

 
                                 

Paciente de 46 anos morreu após realizar o procedimento em Nazaré, no Recôncavo

Era mais um dia normal na vida de Roseli dos Santos, de 46 anos. Ela se queixava de dor de dente ao se alimentar e por isso procurou uma clínica odontológica na cidade de Nazaré, no Recôncavo baiano, no dia 24 de maio. Foi indicada uma extração e, durante a cirurgia de retirada do dente, Roseli passou mal. Chegou a ser levada pelo Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) a um hospital, mas não resistiu e morreu no mesmo dia.

De acordo com nota emitida pela Odontoclin, onde foi feito o procedimento, a paciente teria sido vítima de um acidente vascular cerebral (AVC). Mas a informação não é oficial, uma vez que o Instituto Médico Legal não divulgou o que levou à morte.

O caso acendeu um alerta nas redes sociais, afinal, a cirurgia é considerada pouco invasiva e é largamente realizada em consultórios. Roseli dos Santos possuía diabetes e hipertensão, de acordo com a Polícia Civil.

Na opinião do cirurgião dentista Lucas Hansen, as comorbidades podem ter favorecido para que a paciente apresentasse complicações durante o procedimento.   

“Em pacientes com doença de base, como hipertensão e diabetes, que não fazem consultas de rotinas para regularizar seu estado de saúde, pode eventualmente acontecer [óbito], mas é muito raro”, explica o cirurgião. Ele, no entanto, esclarece que as comorbidades são fatores de risco para qualquer tipo de cirurgia e não somente a retirada de dentes. 

“A paciente pode ter sofrido um pico de hipertensão por conta do estresse, porque querendo ou não visitas ao dentista geram ansiedade nas pessoas. Quando o quadro clínico não está bem monitorado, pode desencadear uma série de problemas”, acrescenta. Além do aumento da pressão arterial por fatores psicológicos, outras complicações podem decorrer da cirurgia, como hemorragias e infecções. 

O uso indiscriminado de anestésicos e a falta de conhecimento sobre doenças pré-existentes também são riscos. Por isso, é importante que os pacientes passem por uma entrevista com o profissional para que o dentista esteja ciente das condições de saúde de quem vai fazer o procedimento. São as chamadas anamneses. Para pessoas saudáveis, é muito raro que complicações graves decorram da cirurgia.

Fonte: Macajubaacontece 

Postagens relacionadas

Região 5835518094946248485

Postar um comentário Default Comments

emo-but-icon

Diamantina FM

Visualizações de página

Parceiros











Mais acessadas

item