PARLAMENTARES MÉDICOS BAIANOS DIVERGEM SOBRE PESQUISA DO CFM SOBRE VACINA DA COVID-19 EM CRIANÇAS



 A pesquisa lançada, há duas semanas, pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) com o intuito de saber a opinião dos médicos sobre a obrigatoriedade da vacina contra a Covid-19 em crianças de 6 meses a 4 anos e 11 meses de idade tem gerado críticas entre as entidades de classe e controvérsias no meio político.


Uma das perguntas feitas pelo CFM no questionário é se “os pais ou responsáveis [devem] ter o DIREITO DE NÃO OPTAR pela imunização de suas crianças”. A caixa alta utilizada em duas das quatro perguntas, na visão de entidades médicas, entre elas, a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBI), implicitamente traz um viés político-ideológico à discussão e aponta contradição e insegurança por querer “equiparar crenças pessoais à ciência”.

Médico ortopedista e professor aposentado da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Otto Alencar foi categórico ao afirmar que não cabe ao CFM fazer pesquisas de cunho opinativo e sem respaldo científico. "Quem colocou na cabeça do brasileiro que a vacina não funcionava não foram os médicos, nem os infectologistas".

Médico anestesiologista, o deputado federal José Rocha (União) declarou-se contra a obrigatoriedade. "Eu acho que essa é uma coisa que fica na responsabilidade dos pais, se vai vacinar ou não", resumiu.

Fonte: Bahia Notícias

Postagens relacionadas

VACINA 6159827956456330533

Postar um comentário Default Comments

emo-but-icon

Diamantina FM

Visualizações de página

Parceiros











 


 



 

 


Mais acessadas

item