Após denúncias do Fantastico, MP pede auditoria em contratos de prefeituras com cooperativas de saúde

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) informou que irá solicitar auditoria em todos os municípios citados por reportagem do último Fantástico, que revelou um esquema de cobrança de propina por representantes de três cooperativas de saúde com registro (Cooba, Coopersaúde e Coopermed) e outras duas sem registro para funcionar (Cooperlife e Pró-Saúde). O diretor de comunicação do Conselho Regional de Medicina (Cremeb), Otávio Marambaia, disse ao jornal A Tarde que o órgão convocará os diretores técnicos das cooperativas registradas para investigar denúncias referentes à ausência de profissionais em postos e consultas “a jato” – algumas realizadas em cerca de um minuto. “Já temos sindicâncias abertas antes da reportagem para apurar denúncias envolvendo cooperativas. Só que nos últimos meses têm aumentado”, relatou Marambaia. O Cremeb deverá encaminhar ainda, nos próximos 15 dias, uma lista de empresas que se passam por cooperativas e atuam em vários municípios do estado, apesar de não possuírem registro. De acordo com o diretor, as companhias podem responder por fraude, falsidade ideológica e crime contra a saúde.

Postar um comentário Default Comments

emo-but-icon

Diamantina FM

Visualizações de página

Parceiros













Mais acessadas

Seguidores

item