Cachorro fica ao lado de caixão do dono durante velório na Serra

Fred ainda tentou entrar no carro da funerária, mas só conseguiu encontrar o dono durante o velório e passou alguns minutos ao lado de Anderson Campos, que morreu de infarto.



O corpo de Anderson Simões Campos, morador de Jacaraípe, na Serra, foi velado na manhã de segunda-feira (25) e contou com um integrante um tanto quanto companheiro: o cão Fred, adotado pela família há cerca de cinco anos. O pet ainda tentou entrar no carro da funerária no domingo (24), quando o aposentado morreu, mas se encontrou com o tutor apenas no dia seguinte durante o velório.


A imagem registrada por Antonio Carlos Aprigio, um dos presentes no velório, mostra  o cãozinho Fred deitado ao lado do caixão. O corpo do aposentado foi velado em um centro comunitário de Jacaraípe. De acordo com a filha de Anderson, Ariely Campos, Fred subiu as escadas, encontrou a porta e ficou ali, ao lado do dono.


"Eu e minha tia estávamos na porta, logo na entrada, quando vimos a cena do Fred entrando, subindo as escadas e indo para o cantinho. Na hora eu comecei a chorar, não tive estruturas. É uma cena linda. O tanto que o animal, além de saber tudo, sente como os humanos. Fiquei emocionada" Ariely Campos

Administradora, filha de Anderson.


O aposentado de 53 anos morreu de infarto no início da madrugada de domingo (24). A família estranhou que Anderson não retornava mensagens e ligações e decidiu ir à casa dele — ele morava sozinho. No fim da manhã, os familiares o encontraram morto e chamaram a funerária.

Percebendo que o amigo tutor estava sendo levado para outro lugar, Fred tentou entrar no carro da funerária, mas foi impedido. "Ele sabia que meu pai estava lá", diz a filha de Anderson.


Na manhã de segunda-feira (25), durante o velório, o cão apareceu para passar os últimos minutos com o dono, que cuidava dele e lhe fazia companhia há cinco anos. A família preferiu retirar Fred do local para evitar que ele ficasse agressivo ao ver alguém tocando no tutor durante o velório.


"Ele é um cão muito amável, mas pode ser agressivo com as pessoas desconhecidas. Ele poderia até morder se alguém encostasse no meu pai", relata Ariely.


Com o falecimento do aposentado que era seu tutor, Fred agora será cuidado por uma 'tia', irmã de Anderson, que também mora em Jacaraípe, na Serra.


Fonte: A Gazeta


Postagens relacionadas

Fotos 760856351274040150

Postar um comentário Default Comments

emo-but-icon

Diamantina FM

Visualizações de página

Parceiros











Mais acessadas

item